Bem-Vindo ao Estação 018!


Seja bem-vindo ao "Estação 018"! Um blog pouco reticente, mesmo cheio destas reticências que compõem a existência. Que tenta ser poético, literário e revolucionário, mas acaba se rendendo à calmaria de alguns bons versos. Bem-vindo a uma faceta artística do caos... Embarque sem medo e com ânsia: "Estação 018, onde se fala da vida..."

quarta-feira, 6 de março de 2013

Tão sós


Nunca fomos tantos 
e nunca estivemos tão sós
- há algo errado nisso.

Ou será que tudo sempre esteve errado?

Se, quando havia apenas dois no jardim,
o plano deu errado, imagina com 
esses tantos bilhões imersos
num caos duplamente fatal:
real e virtual.

São muitas bocas para alimentar
e estas mesmas bocas querem ser ouvidas.
E tudo é colapso.
E tudo é insônia.
Tudo é barulho.
Tudo é trânsito.
Tudo está em trânsito:
o hoje está só esperando 
para ser ontem e o amanhã nem existe.

Não nos cabe sorrisos.
A felicidade é utópica.
Estática. Pragmática.
E sempre externa.
E sempre longínqua.

E você me pergunta se a felicidade está morta.
Eu não sei.
Nunca foi de seu feitio visitar as pessoas.
Alguns dizem que a viram passeando, mas nada comprovado.
Todos procuram, ninguém acha, sempre foi assim
- deve ser o modo certo de as coisas acontecerem,
ou não.

Raul Cézar de Albuquerque
06/03/2013

2 comentários: